Compartilhe

Saiba como desenvolver um programa efetivo de bem-estar no trabalho

Segurança e saúde no trabalho

Um bom programa de bem-estar no trabalho pode fazer com que os gastos com saúde sejam reduzidos exponencialmente. Essa é uma ótima maneira de fazer economia e ainda aumentar a valorização dos colaboradores.

Neste momento, sem perguntar a opinião de outras pessoas, responda para si mesmo: a empresa que você atua oferece um programa de bem-estar no trabalho?

Se a resposta for “sim”, pare para pensar em quantos colaboradores tiveram que ser afastados por motivo de doença, ou então apresentam constantes reclamações sobre a falta de melhores condições no trabalho.

Se esse número for alto, é muito provável que a sua empresa precise dar maior atenção para o assunto. Neste texto vamos te ajudar com ótimas ideias para desenvolver um programa eficaz de bem-estar no trabalho!

Mas primeiro, o que pode ser considerado bem-estar no trabalho?

Segundo um estudo realizado pela universidade de Harvard, nos EUA, o bem-estar no trabalho pode ser definido como programa organizado fornecido pelos empregadores com o  intuito de ajudar colaboradores – e algumas vezes até mesmo sua  família. O intuito é o de estimular hábitos que reduzem riscos  de saúde, melhoram a qualidade de vida, aumentam a eficácia  pessoal e beneficiam os resultados da organização.  

E se você está pensando que um bom plano de saúde resolve essa situação, está enganado. Atualmente, a maioria dos modelos de saúde corporativa existentes pode ser considerada  assistencialista, ou seja, meramente curativa.

Neste sentido, não consideram que  diversos dos problemas de saúde que acometem os trabalhadores estão  intimamente relacionados com estilos de vida individuais e com os seus  determinantes socioeconômicos e culturais.

Empresas começam a investir em bem-estar

Apesar de ser um assunto pouco abordado dentro das empresas, a consciência relativa à importância de gerenciar a saúde dos  trabalhadores é crescente nas empresas de todo o mundo. Isso se deve ao fato de já ser reconhecido cientificamente que investir em promoção da saúde gera  impacto positivo na saúde dos trabalhadores, na redução de custos com doenças e na competitividade da empresa.  

Para se ter uma ideia da dimensão dos gastos empresariais com saúde no Brasil,  basta dizer que esses representam hoje a segunda maior despesa das organizações, ficando atrás apenas da folha de pagamentos.

Dessa forma, ao investir em bem-estar, a redução de custo será decorrente da diminuição da incidência de  doenças, do tempo perdido com afastamentos, da rotatividade, do  absenteísmo e ainda da sinistralidade dos serviços de assistência à saúde oferecidos pela empresa aos empregados.

O que pode ser feito?

Entre as ações efetivas que devem estar em um bom programa de bem-estar empresarial estão: 

  • Mapeamento de hábitos de saúde e estilos de vida;
  • Identificação de fatores de risco;
  • Imunizações no local de trabalho; 
  • Feiras de saúde;
  • Espaço e tempo para atividades físicas dentro da empresa;
  • Desafios de saúde em grupo ou individuais (como perda de peso, rotinas de atividades físicas ou parar de fumar);
  • Aconselhamento profissional em saúde e bem-estar;
  • Restaurante e cafeterias de alimentação saudável/equilibrada;
  • Busca por serviço de assessoria especializada.

Se você tem essa preocupação em sua empresa, é importante destacar que cada organização tem suas particularidades e a definição de bem-estar pode ser flexível. Para isso, é essencial que se mapeie de forma adequada aquilo que pode ser melhorado e que se busque soluções adequadas.

Em breve, lançaremos nossa newsletter, onde abordaremos diversos assuntos relacionados com a saúde e bem-estar no ambiente de trabalho, dando dicas do que pode ser relevante para a sua empresa e como solucionar esses problemas. Siga-nos em nossas redes sociais e acompanhe as novidades!

Tags

Assine nossa newsletter

e fique por dentro das novidades!

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!