Compartilhe

dengue

Dengue: cuidados, prevenção e sintomas 

Promoção da saúde nas empresas
Saúde assistencial

Você conhece os cuidados que devem ser tomados para evitar a proliferação do mosquito da dengue? Os períodos de chuva e dias quentes são os que aumentam a tendência de possíveis focos do mosquito Aedes aegypti. 

Este ano, as autoridades de saúde acenderam um alerta para a dengue. Os casos estão em uma crescente que não era vista há muito tempo. De acordo com o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde (MS), até mês de abril, o Brasil já registrou 173 mortes em decorrência da doença em 2023, ou seja, quase duas por dia. 

Ao longo deste texto falaremos sobre pontos importantes para você saber como se manter longe do mosquito da dengue. Continue a leitura!

O que é a dengue?

É uma doença infecciosa, causada pelo vírus da dengue, no organismo de uma pessoa e tem como sintoma inicial uma febre aguda, com curso acelerado.

Semelhante a um pernilongo, escuro e rajado de branco nas patas e no corpo, é um mosquito urbano que transmite, além da dengue, algumas doenças como a dengue hemorrágica, a febre amarela urbana, a zika e a chikungunya. 

Como se transmite a dengue?

A principal forma de transmissão é pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. Apesar de haver registros de transmissão vertical (gestante-bebê) e por transfusão de sangue, não é comum. 

Após infectado, a pessoa se torna transmissora da dengue para os mosquitos, esse período dura entre um dia antes da febre e o sexto dia da doença, ou seja, o mosquito pica uma pessoa infectada e transmite para outra pessoa quando a pica. 

Quais são os sintomas da dengue? 

A dengue pode variar desde uma doença assintomática, ou seja, sem manifestação de sintomas, até quadros graves, podendo causar a morte.
Geralmente, o primeiro sintoma é a febre, que dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele. Também é comum ocorrer náuseas e vômitos.

Na fase febril, é difícil diferenciar a doença de outras enfermidades. Por isso, é importante consultar um médico em caso de suspeita.

Algumas ocorrências podem evoluir para as formas mais graves e para o óbito. Diante disso, deve-se realizar ações de prevenção e combate à dengue em todos os lugares. 

Como saber se os sintomas que tenho são de dengue? 

Seguindo as instruções do Ministério da Saúde (MS), suspeita-se de dengue quando ocorre febre alta (40 °C) acompanhada de pelo menos dois dos seguintes sintomas: 

  • dor de cabeça intensa;
  • dor atrás dos olhos;
  • manchas pelo corpo. 

ATENÇÃO: Ao se deparar com um caso suspeito, indique buscar a unidade de saúde mais próxima, para atendimento imediato.

Qual o tratamento para a dengue? 

Não há tratamento específico para a dengue. Mas há uma série de ações que auxiliam na melhora, como:

  • Repousar;
  • Não se automedicar;
  • Beber bastante líquido.

ATENÇÃO: todos os medicamentos que contêm ácido acetilsalicílico não devem ser utilizados em caso de suspeita de dengue. Ele pode ser encontrado em antigripais; por isso, é importante olhar a bula e seguir rigorosamente a recomendação do profissional de saúde.

Quais as medidas de prevenção da dengue?

O controle da dengue é feito com ações integradas na comunidade. 

É essencial o envolvimento de todos no combate e na eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti que utilizam recipientes vazios, como garrafas, latas, embalagens plásticas, pneus e outros que acumulam água para sua reprodução.

Fique atento a todos os ambientes para o mosquito não proliferar.

Diversos reservatórios, como vasos de plantas, bombonas e caixas d’água, são ótimos exemplos de criadouros para o mosquito. Por isso, esses e outros locais merecem os cuidados devidos, e mais, é importante verificar possíveis pontos de instalação do mosquito da dengue em sua casa, no seu bairro, na empresa onde você trabalha, veja como mantenha-los limpos.

  • Descarte o lixo corretamente em sacos bem vedados e fora do alcance de animais até o recolhimento. 
  • Elimine qualquer objeto que possa acumular água, como as partes de garrafas de vidro utilizadas em cima dos muros. 
  • Evite cultivar plantas que acumulam água, como bromélias. 
  • Mantenha a caixa d’água com a tampa completamente vedada. 
  • Cubra o “ladrão” com tela e retire a água da laje. 
  • Mantenha as calhas limpas e secas, com inclinação adequada para o escoamento da água. 
  • Troque a água diariamente e lave com escova os potes de água e comida dos animais uma vez por semana. 
  • A água da piscina precisa ser tratada com cloro ao menos uma vez por semana.
  • Mantenha os ralos vedados e desentupidos. 
  • Não acumule pneus velhos. Se tiver, mantenha-os secos e abrigados da chuva. 

A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), por meio do Serviço Social da Indústria de Santa Catarina (SESI/SC), tem um compromisso com a saúde dos trabalhadores da indústria e com a comunidade. Por isso, para ajudar nessa luta, disponibilizamos de forma gratuita materiais de conscientização e auxílio no combate à dengue. Para ter acesso, basta clicar aqui. 

Se você tem dúvidas e quer saber mais sobre a dengue, fale com a Cora, a assistente virtual do SESI. 

Tags

Recentes

1
3
Invista em saúde integral: equilíbrio entre mente e corpo
9 de janeiro de 2024 •

Por Oscar Führ